Ida a Escolas

Promover  sessões literárias, visando o diálogo com os alunos e professores e a leitura em sala de aula das seguintes obras:

1º e 2º ciclo: A Ana do Sol que Vivia no Mundo da Lua 

7º ao 12º ano:  (romance);

romances: Onde o Tempo nos Levar  e A Última carta que te Deixei –  processos de escrita associados;

investigações históricas: Cabeço de Vide – Olhares no Tempo e Vila Verde-Olhares no tempo – como escrever uma Monografia)

xxfoto 4

biblioteca-antonio-gedeao

Algumas  escolas que trabalharam os livros da autora: consultar separador: “eventos

 

CONDIÇÕES/PRESENÇA NAS ESCOLAS:

A ida à escola é gratuita (é cobrado somente o valor da deslocação (transporte) até à escola).

Uma vez que a linha editorial cumprida pela escritora tem sido a de promover os seus livros em detrimento da sua imagem enquanto autora, (“nem todos os autores gostam  de exposição, preferindo continuar a escrita no seu mundo mais reservado“, agradece-se que qualquer divulgação do seu trabalho em blogs/páginas da internet seja feito com as capas dos livros ou com o trabalho desenvolvido pelos alunos a partir das suas obras.

 

INFORMAÇÕES ÚTEIS  acerca do conteúdo das obras:

estudo_capa_completa_A Ana do Sol que vivia no Mundo da LuaA Ana do Sol que vivia no mundo da lua conta-nos a história de uma menina pequenina (que apesar de pequenina tem uma visão muito grande perante o mundo). Costuma isolar-se dos outros colegas, porque não se identifica com eles, uma vez que estes passam o tempo apegados ao telemóvel, aos tablets... A Ana gosta de refletir acerca do mundo que a rodeia e coloca diversas questões a si mesma. Nesta solidão em que vive a Ana, esta procura a ajuda de amigos imaginários para se sentir mais feliz. Apesar de todos à sua volta lhe dizerem que vive no mundo da lua e a chamarem de “Ana que vive no mundo da lua”, ela nunca entendeu o porquê de todos a verem dessa forma (afinal, na sua opinião, todos os outros é que vivem no mundo da lua, porque andam distraídos para o mundo).

Além de estar atenta à natureza, também está atenta a quem vive só, quando encontra a Sra. Solidão, uma senhora idosa que passa os dias sentada em frente à sua escola a observar as pessoas passar, porque ninguém a vê. E é nesta perspetiva que o leitor perceciona dois tipos de solidão: a solidão infantil (em que a criança não consegue perceber que está só, porque se refugia nas suas histórias, na imaginação e nos amigos que cria) e a solidão adulta, nos idosos.

Certo dia, quando a Ana se dá a mostrar aos colegas através das suas histórias e do meu mundo, os colegas conhecem o seu interior: imaginativa, capaz de cativar os outros e entusiasmá-los com o seu mundo. É a partir desse dia que começa a estar rodeada de crianças e o menino, que passava o tempo a troçar dela, chega à conclusão de que afinal ela é a Ana do Sol, porque está sempre contente e transmite alegria a todos os que a rodeiam.

A moral da história: darmos oportunidade de conhecer o interior daqueles meninos que podemos achar estranhos, mas que têm um mundo maravilhoso dentro deles.

Um livro que nos desperta para as diferenças nas características das crianças e para a mensagem de que o ser humano deve oportunidade de conhecer o interior das pessoas que julgamos ser estranhas ou diferentes de nós. Ilustrado por uma menina de 9 anos, os desenhos permitem-nos entrar facilmente no mundo das crianças e o facto de ser muito colorido remete-nos precisamente para a alegria e para a mensagem “feliz” que transporta consigo.

 

ONDE O TEMPO NOS LEVAR

onde o tempo nos levar 2ª ediçãoHá uma evidente interdisciplinariedade, focando temas relacionados com a Psicologia, Filosofia,  História, a Educação Física e a disciplina de Português.

Psicologia – uma das personagens é um psicólogo, amigo da protagonista. Surgem vários diálogos entre ambos cujos temas assentam na busca do conhecimento do EU, do OUTRO…

Temas abordados: bullying, a humilhação perante os outros, os medos/fobias nas crianças/adultos, etc.

Filosofia – as diversas reflexões da protagonista para com o meio que rodeia, fá-la olhar para o mundo de maneira diferente.

História – todos os locais por onde as personagens passam estão marcados por História (pela história de vida de cada uma, pela história dos monumentos …)

Português – o livro está repleto de descrições pormenorizadas, símbolos, metáforas e de múltiplos sentidos e enriquecido por recursos expressivos.

Ex: A palavra “Orientação” surge não só como a designação para a prática desportiva “Orientação”, mas também para a orientação que cada um de nós deve ter na vida. Qual o  melhor caminho a tomar? Qual a melhor estrada? ( na prática desportiva Orientação o atleta serve-se de mapas e de estradas, por vezes, sinuosas, até chegar à meta. Na vida, qual a melhor estrada a tomar?)

O livro que as personagens gostariam de publicar intitula-se Onde o tempo nos Levar. O leitor acaba por acompanhar/assistir ao processo de escrita de ambas as personagens.

Educação Física – uma vez que algumas personagens fazem parte de um clube desportivo de orientação, por vezes, surgem descrições do ambiente vivido em plena prova desportiva “Orientação” ao ar livre ( nas florestas, na cidade, onde os atletas correm acompanhados pelos mapas).

 

A ÚLTIMA CARTA QUE TE DEIXEI

3ª ediçãoUm livro cuja ação decorre entre Marvão e o litoral português e que incide sobre a vida de uma professora, de um faroleiro e de um marinheiro. Um livro que nos permite conhecer a história dos navios naufragados na costa portuguesa e que se cruza perfeitamente com as disciplinas de Português, Filosofia e História.

Filosofia – o leitor é conduzido a diversas reflexões acerca da dicotomia sonho/realidade. Será que os objetos que temos, os locais por onde passamos, as pessoas com quem nos cruzamos e os sonhos que temos durante a noite têm algum significado?

Simbologia: farol ( farol pode ser a construção que orienta os navegantes, como todas as pessoas que nos “orientam” e nos guiam espiritualmente para nos sentirmos bem.

História – a vila de Marvão, onde decorre parte da história, as estações ferroviárias que encerraram ( a linha de Cáceres), a referência ao antigo e novo acordo ortográfico, a história de muitos navios naufragados ao largo das Berlengas, …

Um romance a não deixar de ler!

bullying

raul proença

ferreira de castro

13241146_777448799023191_7992767509871574440_n

santo antonio charneca 3